As lições depois da Síndrome de Burnout

26 de maio de 2021 por Vanessa Brollo

Foi em 2018 que a Tatiana Girardi entrou em burnout. Mesmo sendo a própria chefe  ela chegou à exaustão. Como mentora de vida no Espaço do Bem-Estar, ela ajuda as pessoas com uma mentoria profunda nas áreas de saúde mental e emocional, relacionamento e trabalho. E a própria Tati tem uma história de mudança de carreira que é uma inspiração.

Ainda muito nova, aos 14 anos, ela já trabalhava em uma agência de publicidade e foi crescendo na profissão. Trabalhava 12, 13 horas por dia, se formou em administração, fez pós graduação em marketing. Até que chegou à gerência  de marketing do Clube atlético Paranaense, mas... Vivia com um “buraco” no peito, uma ansiedade que não sabia explicar. Só tinha certeza que precisava de um Plano B, quem sabe para colocar em prática quando estivesse mais velha. Nessa busca ficou conhecendo as terapias alternativas  e se apaixonou. Voltou para a sala de aula, se formou em naturoterapia  e começou a fazer uma reserva de dinheiro. Os planos que seriam para o futuro foram colocados em prática muito antes. Aos 31 anos decidiu pedir demissão, mas recebeu uma contra proposta de salário que lhe tirou a certeza. 

Em casa, ela pediu um sinal do universo, que veio em sonho. Tatiana se viu muito triste presa em uma gaiola de ouro. No dia seguinte confirmou que sairia do emprego e meses depois abriu o espaço para começar os atendimentos inicialmente como terapeuta holística e agora também como mentora de vida.

A Tati começou a ajudar as pessoas a mudarem o seus olhares sobre a vida, mas ela me disse que existe uma tendência natural de quem cuida de só olhar para o outro. 

“O burnout me deu esse chacoalhão. Foi difícil, doloroso, mas de extrema importância para olhar algumas questões internas”

E foi nesse momento que a Tatiana teve certeza que em uma transição de carreira você não pode só mudar o caminho, mas a sua forma de caminhar. Ou seja, ela deixou o trabalho com marketing, que era uma correria, e continuou workaholic na administração do próprio negócio.

“Percebi que mudar o caminho requer mudança no jeito de caminhar”

E ela deu início às mudanças. A primeira foi alugar uma sala mais perto de casa para não precisar se estressar com o trânsito. Também decidiu não abrir a agenda de manhã, que reservou para estudar, meditar, fazer yoga ou simplesmente não fazer nada. 

“Hoje tenho mais qualidade de vida e tento viver aquilo que prego"

 

As dicas da Tatiana:

-Busque o que quer de verdade. Encontrou? Então se prepare. Faça um curso, economize dinheiro. Nunca fiz nenhuma loucura, sempre busquei metas realizáveis. Me planejei. Foque no próximo degrau e não na escada inteira.
-Tenha paciência, resiliência. Alguns dias vão ser bem difíceis. Muitas vezes  abri e fechei o  meu espaço sem nenhum cliente. Mas se você faz um bom trabalho as coisas acontecem naturalmente.
-Não dê um passo maior que a perna. O meu negócio me permitiu ter um custo fixo baixo. Hoje eu poderia ter uma secretária, por exemplo, mas não  tenho. Tenho que ter equilíbrio até para mostrar para os meus clientes que isso é possível.
-Tenha cara de pau para divulgar. Faça networking. Se não tem perfil arrume um sócio ou um parceiro que faça a linha de frente. Se você não se expõe, ninguém chegará até você.

@tati_girardi