Foto: Luizo Cavet

O Pão que o Viado Amassou entrega pão, bom humor e dá visibilidade para a causa LGBTQIA+

Foto: Luiz  Cavet

E aí, tutupão, ser iluminado e perfeito aos olhos de Cher? Pelo recadinho no Whats, quando você vai pedir o seu pão, já se percebe que a proposta da empresa: O pão que o viado amassou, vai além de vender pão.

Gabriel Castro é trapezista, ator, DJ e professor. Sempre teve muitos planos, mas com a pandemia, tudo parou. Em casa e com muito tempo livre, ele começou a pensar em possibilidades e confessa que, apesar de gostar muito de cozinha e de comer, ainda não fazia pão. “Para mim fazer pão sempre foi uma aventura muito ousada, parecia muito difícil! Acho que escolhi o pão porque o isolamento nos deu tempo de sobra pra apostar nos erros!”

E o Gabriel não fez nem curso. Segundo ele, graças à generosidade das pessoas que compartilham seus conhecimentos no Youtube ele foi copiando e adaptando algumas receitas.

Começou na cozinha do apartamento dele assando um pão por vez, depois foi para a cozinha dos pais e chegou a 4 pães por vez, o que para Gabriel já era um número espetacular. Mas os pedidos começaram a aumentar. O empreendedor precisou ir para a cozinha de uma amiga e já vende mais de 100 pães por dia. Também emprega 15 pessoas desde o administrativo, passando pela comunicação, pela logística e propriamente na cozinha.

Pão 2 (2)

E essa história de empreendedorismo vai além da venda de pães. O nome bem humorado também tem o objetivo de chamar a atenção para a causa LGBTQIA+ . “A gente quer botar na mesa uma discussão, um olhar. A nossa proposta é abrir possibilidades para diálogos. Mais do que fermento biológico ou natural, a gente oferece fermentação de tolerância e respeito para que as massas cresçam com amor e dignidade”.

E pelo retorno dos clientes, o Gabriel diz que está conseguindo discutir a existência e, principalmente, far visibilidade à causa LGBTQIA+.

As dicas do Gabriel :

-Nada de medo de errar, nem de compromisso com a perfeição. Se a gente busca um plano B, precisamos estar de bem com a ideia de que é algo novo, que não vínhamos treinando antes. Tem tudo pra dar errado e pode dar! Acordar um pouco mais cedo, escovar o dente e praticar essa novidade com alegria e boa vontade. A criança anda na hora dela!

-Nada de medo do julgamento. Tá cheio de gente achando que o vida tem um padrão pra seguir. E nada mais chato que padrão. De gente querendo impor e seguir o padrão o mundo tá cheio. Sai desse lugar. Nossos negócios são nossos discursos e a gente pode ter um discurso legal. O que nos leva ao terceiro tópico

-Nada de medo do seu discurso. A não ser que seu discurso seja realmente ruim e digno de vergonha, se joga nele. Tudo que a gente faz é depoimento e nos negócios creio que não seja diferente. E, olha… quando a gente tem algo muito legal pra dizer a recompensa de ver seu depoimento encontrando eco em outras vivências e receber o retorno disso é muito, mas muito satisfatória!

Aqui está o Whats App do Gabriel. Segundo ele é a partir desse número que a mágica acontece:

( 41) 987877087

Instagram: @opãoqueoviadoamassou

 

Pão 1

Pão 3

Deixe um comentário