Partiu Plano B: Conheça tendências para o mercado de trabalho feminino em 2021

10 de dezembro de 2020 por Vanessa Brollo
Muitas mulheres que estão no mercado de trabalho, já têm um Plano B para reforçar a renda. Exercer mais de uma atividade profissional e não depender de uma única fonte de renda é algo que faz cada vez mais sentido e que se intensificou neste ano. Em 2021, a necessidade de ter um plano B, e mais do que isso, colocá-lo em prática, figura entre as tendências para o mercado de trabalho feminino. Ter uma atuação profissional voltada para a sustentabilidade e o consumo consciente e um trabalho alinhado à digitalização também são movimentos que devem crescer no próximo ano. Para quem deseja planejar sua carreira para 2021 e não sabe por onde começar ou como se alinhar a essas tendências, uma alternativa é procurar uma mentoria de planejamento. Rafize Santos, mestre em Filosofia pela UFPR, mentora e fundadora da Badass Mentoria Profissional para mulheres, diz que dessa forma é possível rever os aprendizados de 2020 e se preparar para o próximo ano prevendo possibilidades de atuação que sejam alinhadas às aptidões de cada uma e ao que o mercado está buscando.

“A crise desencadeada com a pandemia acelerou inúmeras tendências. Estamos precisando nos reinventar de muitas maneiras, sair da nossa zona de conforto em muitos aspectos. A habilidade de tecnologização, por exemplo, é uma das mais exigidas no mercado de trabalho feminino. Ela será responsável por reduzir o gap salarial entre gêneros na próxima década, tendo em vista que a pandemia provocou um retrocesso de 6 a 10 anos em termos de avanços dos direitos de trabalho das mulheres. Assim, o que dará fôlego de novo para as mulheres é a transição digital”, aconselha Rafize.

Saiba mais sobre as tendências para o mercado de trabalho feminino em 2021: Plano B Especialmente neste momento delicado, variar as formas de receita é fundamental para se reinventar e evitar perrengues! Neste ano, a tendência de ter um plano B se intensificou especialmente porque muitas pessoas se viram impossibilitadas de realizar seus trabalhos presencialmente ou até mesmo foram demitidas. Isso fez com que muitas mulheres tivessem que buscar desenvolver uma nova atividade profissional com urgência neste ano. Consumo consciente e sustentabilidade A pandemia também alterou padrões de consumo que já vinham se fortalecendo nos últimos anos. Mais preocupados com a qualidade de vida, os consumidores buscam, cada vez mais, negócios com propósito e que promovam a cura para seus problemas, de modo econômico e sustentável. Em termos práticos, isso significa que a atuação profissional das mulheres em 2021 deve ser pautada, entre outros pontos, por consciência nos processos produtivos.

Digitalização

Pesquisas mostram que as mulheres têm, em média, 35% menos habilidades tecnológicas do que os homens. E para que haja uma inserção feminina no âmbito digital é importante implantar algumas medidas, a exemplo da criação de programas de treinamento e requalificação, incluindo mulheres que estão retornando para a força de trabalho, ampliar o acesso ao networking, reduzir estereótipos de cargos e ocupações, e, especialmente, trabalhar as habilidades de facilitação online.

“Eu defendo muito que todas as mulheres devem ter a habilidade de facilitar um ambiente de conversa online. Também é muito importante a interação com  profissões muito próximas da tecnologia e que serão úteis em toda e qualquer carreira, a exemplo do design, que deve estar cada vez mais presente em nossas rotinas profissionais. Então já precisamos começar a trilhar esse caminho”, destacou Rafize.

www.badassmentoria.com.br

 
';