O sonho de uma vinícola se tornou realidade para essa família

24 de julho de 2015 por Vanessa Brollo
Ter uma vinícola, produzir o próprio vinho e fazer disso um negócio. Hoje essa é a realidade da Família Fardo. Mas até há pouco tempo era só um sonho ou um desejo como me contou Ambrosio Fardo, que junto com o neto Luca e a esposa Justina Pederiva Fardo, exibe com orgulho os vinhos produzidos na vinícola, que fica em Quatro Barras, na região metropolitana de Curitiba. Família Fardo- Partiu Plano B Justina e Ambrosio chegaram ao Paraná nos anos 70. Ela inclusive chegou em Curitiba um dia antes da neve de 1975 e ficou toda feliz porque ia morar em uma cidade que nevava, mas isso só aconteceu novamente em 2013 e mesmo assim muitos acham que foi uma chuva congelada, mas voltando à história, os dois vieram do Rio Grande do Sul onde na casa de Ambrosio já se produzia vinho para consumo próprio. Eles casaram, tiveram 3 filhos. Estão casados há 38 anos. Segundo Justina, o marido sempre dizia que queria ter uma vinícola. Até porque quando procurava por um vinho sempre achava que era doce demais ou avinagrado.”Ele dizia que queria fazer um vinho não para beber, mas para saborear”, conta a esposa.
Família Fardo- Partiu Plano B
                                                                                                                                                                                                             Foto: Gheysa Padilha
Só que para Justina a ideia de ter uma vinícola parecia complicada demais e a vida foi seguindo. Ela passou em um concurso para o Banco do Brasil, ele abriu uma  empresa especializada em desenvolvimento de concentrados de cor. Com a rotina e as dificuldades, aquele desejo foi ficando para trás, mas mesmo assim o Ambrosio comprou uma chácara na região de Curitiba e plantou algumas parreiras. Família Fardo- Partiu Plano B Quando o irmão do Ambrosio, que produzia vinho no Rio Grande do Sul  morreu, ele decidiu comprar as pipas de madeira para manter na família. Para guardar ele precisava de um lugar e decidiu construir um espaço na tal chácara. Era o sonho da vinícola que começava a se tornar realidade. Família Fardo- Partiu Plano B Segundo Justina, quando as pipas chegaram ela pensou que a vinícola estava pronta, mas não foi bem assim. Eles tiveram que  aprender a produzir vinho com ajuda da tecnologia, contrataram enólogos e começaram com a uva de mesa, que é a mais barata. Mas o Ambrosio queria um vinho para saborear, para isso investiu nas uvas finas até chegar ao cabernet sauvignon. “O segredo é não inventar, é fazer o vinho dentro da normalidade”, explica. A uva para produção dos vinhos vem de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. Família Fardo- Partiu Plano B Foi em 2009 que saiu o primeiro vinho da Vinícola Famíla Fardo. Depois do lançamento, no evento Mia Cara Curitiba, do Consulado Italiano, da capital do Paraná, o vinho começou a ficar conhecido. A família já está em vários pontos de venda em Curitiba e São Paulo e a vinícola ganhou um belo espaço para receber visitantes para degustação.
Família Fardo- Partiu Plano B
                                                                                                                                                                                                             Foto: Gheysa Padilha
Junto com a minha família, em um belo sábado de sol, eu tive a chance de apreciar um delicioso vinho e ainda aprendi muito com o enólogo Philipe Lima. Ele faz com que a gente perceba melhor todos os sabores do vinho e ainda dá dicas de harmonização  de vinho com diversos pratos. Família Fardo- Partiu Plano B Família Fardo- Partiu Plano B Justina confessa que sempre foi mais pé no chão e que ter uma vinícola parecia algo inatingível. Hoje porém, ela se diz realizada com o trabalho. “O apreciador de vinhos se apaixona e não cansa de buscar vinhos. A atividade é igualmente envolvente, você não percebe que está trabalhando, é um ofício e não tem mais como sair disso”.  

Dicas da Justina e do Ambrosio

- Para desenvolver alguma coisa primeiro você tem que ter isso como propósito de vida. Tem que ter como um firme desejo  porque as dificuldades vem e são grandes. Primeiro você enfrenta a burocracia, depois a dificuldade financeira. É fundamental refletir se vale a pena. -Você tem que se cercar de pessoas que agregam. Você nunca vai fazer nada sozinho. Porque você pode entender de engenharia mas não entende de administração. -Tem que ter a consciência que o retorno é muito lento. Você tem que ter uma base de sustentação para esse período em que você só vai trabalhar. Não pode achar que as coisas acontecem sozinhas. Não dá pra parar de remar. -O projeto, o sonho e a idealização estão contigo, na cabeça, no coração e no seu ser. Isso ninguém vai ver, ninguém vai viver essa intensidade com você.   www.familiafardo.com.br
COMENTÁRIOS
Adicione um comentário
Nome:
Email:
FERNANDA
26 de julho de 2015 Responder
Que história bacana! Eu não conhecia este lugar, mas agora já está na minha lista de visitação. Obrigada por compartilhar alegrias mais uma vez. Ah, e a Vivi está linda, hein? rs Beijos!! Fernanda.
VANESSA BROLLO
26 de julho de 2015 Responder
Ah Fer, obrigada pela Vivi, sou coruja então concordo plenamente rsrsrs. O lugar é muito legal e o vinho é gostoso mesmo. Vocês vão adorar. Beijos linda semana pra você e obrigada pela visita minha fiel leitora
LETÍCIA
26 de julho de 2015 Responder
Uau que bacana! Quero ir lá conhecer!
VANESSA BROLLO
26 de julho de 2015 Responder
Vai adorar Leti e é tão perto. Um passeio que vale a pena. Beijos e obrigada pela visita
JUSTINA
27 de julho de 2015 Responder
Oi, Vanessa Obrigada por contar nossa história com simplicidade e fidelidade. Adorei!!
VANESSA BROLLO
27 de julho de 2015 Responder
Obrigada você Justina por compartilhar comigo essa linda história. Uma história de empreendedorismo sim mas também de união e amor em família. Fico muito feliz que tenha gostado. Beijos
Comentário: X
Nome:
Email:
';