Plantas

Com o setor de turismo parado, empreendedora parte Plano B vendendo plantas

A Priscila Máris trabalha com turismo, mas de uma hora para outra viu o setor parar totalmente. Além ter sido fortemente atingido, o turismo deve ser um dos últimos  a voltar ao normal depois que a pandemia passar.

Com as contas batendo à sua porta, a Priscila precisou se reinventar e a inspiração veio no momento em que mudava de apartamento. Como a imobiliária foi inflexível na negociação de aluguel ela e o marido precisaram arrumar outro imóvel. Para se adaptar ao novo espaço, além de vender alguns móveis também decidiu  oferecer alguns vasos de plantas. Bastou uma postagem nas redes sociais para que ela vendesse tudo em apenas uma tarde. “Sempre fui apaixonada por plantas e, nesse momento, meu coração vibrou e tive o insight de iniciar algo que sempre esteve presente em mim que é o amor, o cuidado e o trabalho com as plantas”. A Pri e o marido, Alessandro, têm várias histórias de resgate de plantinhas que foram descartadas e que ganharam nova vida depois dos cuidados dos dois.

Assim nasceu a ideia do Turiya Brechó das Plantas. Segundo a Priscila, o nome Turiya, deriva da raiz sânscrita e significa o quarto estado de consciência, estado presente em todos os seres e em todas as formas de vida.

A proposta do Turiya é fazer a venda e garimpo de plantas e vasos. Revender plantas a preços acessíveis e também prestar serviço de consultoria: “Tem muita gente que ama plantas mas não sabe como cuidar, tem dúvidas sobre iluminação, rega, poda e adubação”.

E outra ideia que já está conquistando os clientes é o “hospital” para verdinhas. A pessoa pode pagar uma diária para deixar a planta em tratamento na casa da Pri até que fique saudável novamente. A empreendedora ainda faz o reaproveitamento de objetos que não são mais utilizados. Como é o caso dessa Espada de São Jorge. na foto,  que foi plantada em uma marmita.

Vaso marmita

A empreendedora diz que está buscando um novo olhar sobre o viver e uma nova forma de sobreviver em meio a este momento atípico. E apesar do amor pelas plantas ter se tornado um negócio, a Pri diz que ela e o marido seguem atentos resgatando as plantinhas descartadas e que merecem uma segunda chance.

“Cultivar plantas em casa é encontrar um tempo de calmaria em meio à rotina por isto escolhemos ser ‘ponte’, ser este caminho que te levará a um contato mais íntimo com a natureza e suas verdinhas”.

@turiyabrechodasplantas

 

Plantas 1

 

Deixe um comentário