Instituto Legado -Partiu Plano B

Uma força para que negócios sociais consigam crescer

Os negócios sociais são ONGS ou Instituições que prestam algum tipo de ajuda para a sociedade. Trabalhos repletos de boas intenções mas que muitas vezes não conseguem crescer porque  esbarram em questões burocráticas ou financeiras. O James Marins é advogado tributarista e no escritório de advocacia sempre costumava promover ações sociais em datas como Páscoa e Natal, mas ele queria ir além. Começou a perceber que trabalhar por dinheiro não estava suficiente, queria trabalhar para um propósito. O James e a esposa, Glaucia Marins, fundaram o Instituto Legado, que tem o objetivo de capacitar organizações e negócios sociais para que  consigam ampliar o impacto. “Somos advogados e professores, acostumados com consultoria. Sabíamos que uma boa consultoria pode melhorar a vida das empresas e os negócios de impacto social nem sempre tem acesso a esse tipo de ajuda”.

Instituto Legado- Partiu Plano B

Começaram a selecionar organizações que tinham potencial de crescimento e aplicar metodologias que permitem repensar a forma de gestão. Já capacitaram mais de 160 organizações e muitas delas dão depoimentos de que tudo mudou depois que passaram pelo processo .O foco é empoderar pessoas e organizações para expansão de impacto social e/ou ambiental.  O James me explicou que uma das dificuldades das organizações  é a capacitação de recursos, mas eles percebem que o problema vem antes e é organizacional, tanto no propósito quanto na moldura da gestão. Negócios sociais e organizações de todo o Brasil se inscrevem no site da Instituto Legado e 40 são escolhidos. É um programa anual gratuito de capacitações, imersões, assessorias e eventos de rede. O Instituto ainda promove trocas de aprendizados entre as iniciativas selecionadas, profissionais experientes e empreendedores sociais de relevância nacional e internacional.

Instituto Legado -Partiu Plano B

No final, as organizações com maior potencial ainda concorrem ao Prêmio Legado, quando três projetos ganham o investimento financeiro de R$ 10 mil. “O objetivo é que, por meio do conhecimento adquirido e de atividades práticas, as organizações se desenvolvam e possam oferecer melhores oportunidades de futuro para as comunidades e grupos com os quais atua”. 

Se você tem algum negócios social ou alguma ONG presta atenção nas dicas da Glaucia para que você consiga efetivamente crescer e se desenvolver de forma profissional:

 – Procure colocar tecnologia no seu negócio. Apenas com uso de tecnologia um negócio se torna escalável.
– Mensure o impacto que seu negócio causa. Existem empresas sociais especializadas nisso. Quando você mensura seu impacto você consegue convencer investidores a fazerem parte do seu negócio.
– Você deve pensar no seu negócio de forma globalizada. Isso quer dizer que apesar de você ter iniciado seu negócio para resolver um problema pontual do seu entorno ou do seu País, tenha em mente que ele deve resolver o problema da maior parte dos lugares do mundo, portanto pense que a escalabilidade é o futuro, e assim voltamos para a dica número 1.

Deixe um comentário