ilustração plano b-1

Pare e pense antes do Plano B

 

OK, você decidiu que vai  partir para o Plano B. Parabéns! É sempre importante correr atrás dos nossos sonhos. Mas espera aí. Pare e pense. Leia esse post antes de  pedir demissão do emprego ou investir todas as suas economias em um novo negócio.

As dicas são da Marcia Giubertoni, consultora do Sebrae PR

Partiu Plano B  – O Brasil é um País empreendedor e muita gente sonha em apostar em um Plano B, seja por necessidade ou talento. Mas o que é importante ter em mente antes de largar um emprego fixo ou investir as economias em um negócio próprio?

Marcia– Largar um emprego fixo, para se tornar empresário, requer alguns cuidados. Por isso, antes de mais nada, é preciso buscar orientação com quem entende de pequenos negócios. Uma empresa que nasce forte tem condições de crescer forte. O candidato a empresário precisa investir tempo em planejamento, gestão e análise de mercado. Então, antes de tomar qualquer decisão, sobre abrir ou não um negócio, é preciso se organizar, pensar a empresa e seu funcionamento, antes de entrar em operação. Também é muito importante analisar seu perfil, se é empreendedor ou não.

Partiu Plano B-     Ainda existe aquele período de 2 anos para dizer que uma empresa deu certo? Muitas fecham antes disso?

Marcia – O período de dois anos, após a abertura da empresa, continua sendo um período de muita atenção, porque o novo empresário ainda não possui uma carteira de clientes estabilizada e ainda está testando a sua gestão. Hoje, de cada quatro micro e pequenas empresas, uma delas fecha as portas nesse período, por inúmeras razões. A principal delas, é a falta de orientação técnica. É o empresário que abre um negócio sem planejamento, achando que tem feeling suficiente para empreender. E muitas vezes, isso não é fator determinante.

Partiu Plano B–  E as artesãs, costureiras, confeiteiras. Quais são as dicas para as pessoas que decidem trabalhar em casa?

Marcia- Precisam organizar suas atividades como se fossem de fato empreendimentos. Trabalhar em casa pode ser uma solução interessante, para reduzir custos de produção, no entanto, é preciso haver regras. Uma delas, é interessante formalizar a atividade, para poder emitir notas fiscais e funcionar com CNPJ. O ambiente de trabalho, mesmo sendo em casa, precisa ter disciplina nos horários, organização nas entregas, separação das finanças pessoas com as finanças da empresa. São esses detalhes que fazem a diferença.

Partiu Plano B –  Outra dúvida comum de quem faz algum artesanato, por exemplo. Para quem vender? As redes sociais podem ajudar?

Marcia-  As redes sociais são hoje uma tendência sem volta. O seu uso, para fins comerciais, é cada vez maior. E quem não estiver preparado para usá-las de forma adequada pode perder oportunidades de negócios. Por isso, um artesão pode sim ter uma página na internet e se valer de ferramentas, como o Facebook, para divulgar e promover seus produtos. A internet pode ser até um canal de venda, porém, muita atenção: a página, além de muito organizada, precisa ser sempre atualizada e contar com sistemas, como o de entrega, confiáveis e atrativos.

Partiu Plano B – Qual é a importância de se formalizar? Como se tornar um microempreendedor individual?

Marcia – A formalização garante vantagens ao empreendedor, além de segurança para quem consome seus produtos e serviços. A figura do Microempreendedor Individual (MEI), criada em 2009, tem servido para legalizar muitos pequenos negócios. Só no Paraná, são mais de 200 mil microempreendedores individuais. É uma forma fácil de se obter CNPJ e vantagens como o direito de emitir nota fiscal, obter linhas de financiamento para Pessoa Jurídica, e, por que não, até participar de novos nichos de mercado, como o de licitações públicas, cada vez mais acessíveis aos pequenos negócios. O MEI garante ainda vantagens previdenciárias. Com menos de R$ 50 ao mês, ficam assegurados direitos à aposentadoria por tempo de serviço, auxílio-doença e auxílio-maternidade.

Partiu Plano B – Como o Sebrae pode ajudar?

Marcia– Para quem já é ou quer ser empresário, o Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas é a opção mais fácil e econômica de obter informações e conhecimento. Criado na década de 1970, o Sebrae apoia as decisões dos empresários, dos potenciais empresários e dos potenciais empreendedores, no campo e na cidade, porque é a instituição que entende de pequenos negócios e possui a maior rede de atendimento do País. No Paraná, conta com seis regionais e 11 escritórios. A instituição chega aos 399 municípios por meio de Pontos de Atendimento ao Empreendedor, Salas do Empreendedor e parceiros locais, como associações, sindicatos, cooperativas, órgãos públicos e privados. O Sebrae/PR oferece palestras, orientações, capacitações, treinamentos, projetos, programas e soluções empresariais, com foco em empreendedorismo e gestão; educação empreendedora; startups; liderança; empresas com alto potencial e potencialização e ambiente de negócios.

Assim como você, eu também estou  me informando mais sobre o mundo dos negócios. E o Sebrae realmente ajuda viu? No site deles tem várias dicas e até cursos online.

www.sebraepr.com.br

4 comentários sobre “Pare e pense antes do Plano B

Deixe um comentário