Jacson Fressatto- Partiu Plano B

A dor pela perda da filha, inspirou o pai a criar uma tecnologia que pode salvar milhares de vidas

Foi em em 2010 que Jacson Fressatto se tornou pai de Laura. Ela nasceu prematura e foi internada na UTI Neonatal de um hospital, em Curitiba. Só que a bebê teve sepse, mais conhecida como infecção hospitalar, e não resistiu.  A família sofreu um misto de revolta e angústia e o primeiro impulso do pai de Laura foi encontrar culpados. Para tanto, fez uma maratona pelos hospitais da cidade buscando compreender como os processos funcionavam. “No fundo tudo que eu queria era uma resposta para entender o que exatamente tinha acontecido com minha filha”.

Mas não foi só isso. Mesmo sabendo que não poderia reverter sua própria história, o amor de pai foi capaz de transformar dor em propósito de vida: evitar que outras pessoas morressem da mesma forma que Laura. “Minha missão hoje é evitar que outros pais passem pela dor que eu passei e sei que a inteligência artificial pode ser nossa aliada para isso”. Oito anos depois, promessa cumprida. Em homenagem à filha e com  a missão de impedir mortes semelhantes, o arquiteto de sistemas  criou o primeiro robô cognitivo gerenciador de risco do mundo. O Robô Laura salva uma vida por dia e atualmente opera em cinco hospitais. O software lê as informações dos pacientes e emite alertas que são enviados a cada 3,8 segundos à equipe médica com o objetivo de sinalizar o quadro de pacientes com riscos de infecção generalizada, além de alertar com antecedência outros casos de deterioração.

Jacson Fressatto- Partiu Plano B

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as infecções hospitalares atingem cerca de 14% dos pacientes internados e são responsáveis por mais de 100 mil mortes no Brasil todos os anos. As estatísticas do Robô Laura indicam queda de 9% nos casos de infecção nos hospitais que usam o recurso. Assim, a tecnologia pode salvar até 10 mil brasileiros por ano. Ativo desde 2016 e funcionando em cinco hospitais do Brasil, o recurso monitora cerca de 60 mil pacientes por ano e já reduziu em média 9% a incidência de casos de infecção hospitalar. Além de salvar vidas, a tecnologia é um instrumento para otimização de tempo e recursos em saúde.

Enquanto cuidava do desenvolvimento da Laura, Jac teve outros dois filhos: Léo e Maya. Hoje, é convidado para dar palestras em todo o Brasil sobre a tecnologia que criou e sua história de superação. Em maio deste ano, participou do TEDx Talks em São Paulo. Ele ainda diz que tem uma meta audaciosa como pai: impactar positivamente 1 bilhão de vidas. Para você que sonha em ter uma empresa de tecnologia, ele diz: “Não deixe que a tecnologia te domine. Entendo que ela é melhor usada para o bem dos outros e não apenas para benefícios técnicos”.

As dicas do Jacson:

-Se não tiver plena certeza que dará certo, não comece. Você precisa ser seu principal investidor e patrocinador moral;

-Dificuldades existem a todo momento, faça com que elas aconteçam sob controle. Se não estiverem, mantenha o seu próprio controle para suportar as pressões.

– Vai dar certo! Simples assim!

 laura-br.com

Deixe um comentário