Foto: Danielle Sanson

Da área de marketing para um clube de assinatura de caixas sensuais

Você certamente já ouviu falar de algum clube de assinatura né? Tem de vinho, de cosméticos, de cerveja, de artigos de pet, etc. Mas a Patricia Perotto teve uma ideia diferente, criou uma startup de clube de assinatura de caixas sensuais.  A Patrícia era gerente de marketing em uma empresa de varejo e quando decidiu empreender acabou se inspirando no que vivia no dia a dia. “Depois de casada percebi o quanto o ritmo das coisas mudou. Após o trabalho e minhas obrigações diárias passei a dar muito mais importância em ver a minha casa organizada do que o meu relacionamento saudável. A gente acaba caindo nos confortos do amor e esquece que o sexo é outro assunto”.

Foto: Michelle Pereira
Foto: Michelle Pereira

A startup  surgiu com a ideia de ajudar a manter acesa a chama  dos relacionamentos. Antes de lançar o clube de assinatura, que todo mês manda um kit  com lingeries, cosméticos e brinquedos, a empresária foi atrás de informação. Encontrou fora do Brasil  duas marcas que a influenciaram. “A princípio era só a lingerie, mas eu quis oferecer algo mais, uma proposta diferente, com uma pegada sutil e que proporcionasse descobertas entre o casal”.

Trishya- Partiu Plano B

Depois de fazer o lançamento em uma feira de noivas, a empresa já ganhou os primeiros assinantes, na maior parte mulheres . “A nossa principal consumidora é a mulher, que compra pela internet, a mulher está mais bem resolvida com a sua própria sexualidade e está indo atrás de recursos para  o prazer”.

Trishya- Partiu Plano

Com o clube de assinatura, o objetivo da empresária  é oferecer praticidade e comodismo para os clientes, que também podem comprar a caixa uma única vez para algum momento especial. Ela está otimista com o crescimento desse tipo de negócio. “Nós fazemos parte  de um mercado que emprega direta e indiretamente  mais de 100 mil pessoas no setor. Há espaço para crescimento enorme, porque 83% dos brasileiros nunca utilizaram nenhum produto erótico”.

As dicas da Patrícia:

– Ter resiliência porque haverá dias difíceis, em que você se questiona e pensa se vale a pena continuar.

-Ser persistente. Continuamente é preciso dedicação ao seu produto e  ao seu cliente, fazer pesquisas e networking. Não pode desistir até esgotar suas cartadas, aos poucos o negócio vai se desenvolvendo e dando retorno.

-Acreditar e fazer. Você sempre vai ouvir que fulano já teve aquela ideia, que a amiga do vizinho da sua tia também pensou nisso… mas fez? Não fez! Então, vai lá e faz porque o dono da ideia é quem fez,  não quem pensou em fazer.

www.trishya.com

Deixe um comentário