Maria Alfajor- Partiu Plano B

A venda de alfajor era para quitar a faculdade e virou negócio

A Priscila Scuissiatto começou a vender alfajor no último ano da faculdade  de design de interiores. O objetivo era quitar a faculdade e a formatura, só que a ideia deu tão certo que acabou se tornando um Plano B da Priscila que ganhou um sócio, o namorado dela o Fabrício Boscardin.

Maria Alfajor -Partiu Plano B

A certeza de que deveria  transformar a ideia em um negócio veio dois meses depois que começou a produção. Eles receberam a encomenda para uma festa de casamento e em dois dias, trabalhando a noite, eles produziram 200 alfajores.Isso nos estimulou e animou muito no início. Foi este casamento que fez com que criássemos o site, o face, instagram, cartões de visita , e apostássemos em um Plano B para aumentar a nossa renda”.  E o sucesso meio que pegou a Priscila de surpresa. Como nunca fez curso de confeitaria, teve que aprender sozinha as técnicas de manuseio com chocolate e contou com a boa vontade de um amigo que deu dicas valiosas para que ela pudesse, por exemplo, reproduzir a letra do brasão de um casamento no alfajor.

O segredo do sucesso, segundo a Priscila, está na qualidade dos ingredientes, sempre frescos e de qualidade e também no carinho envolvido. ”Ele é artesanal, cada etapa é feita com muita atenção. Sempre buscamos ouvir o feedback de todos que experimentam”.

Maria Alfajor -Partiu Plano B

E quem disse que falta de tempo é desculpa para quem quer empreender? A Priscila e o Fabrício  mantém os empregos e se dedicam ao negócio dos alfajores nos finais de semana, mas trabalham a noite, durante a semana se aparecesse uma encomenda de emergência. Hoje vendem os doces em um restaurante, em Curitiba, e também como lembranças para festas. Na semana que tem evento a produção semanal de 250 alfajores passa de 500 unidades.

As dicas da Priscila e do  Fabrício

-Tem que querer. Quando você deseja algo, você usa todas as forças, vai atrás, se sente mais motivado e estimulado a realizar seu sonho,mesmo que as dificuldades apareçam

-Tem que buscar informação. Aprender e aprender todas as áreas da sua atividade. Treinar também para  que você possa passar para os colaboradores a forma que você quer que sua marca seja representada. No caso dos alfajores,  fomos atrás de informação como ingredientes, processo de fabricação, etc. Hoje, com o Sebrae, estamos buscando capacitação empreendedora

-Tem que trabalhar, trabalhar muito. Trabalhar para fazer seu sonho acontecer. Por a mão na massa literalmente e sempre estar atento às oportunidades. No meu caso eu e do Fabrício  fazemos tudo. O produto, as fotos para as redes sociais, a entrega dos doces. Também saímos nos finais de semana para panfletar e trabalhamos até bem tarde quando precisamos entregar algum pedido. Abrimos mão de alguns finais de semana. É o começo….

 

facebook.com/mariaalfajor

Maria Alfajor -Partiu PLano B

 

 

9 comentários sobre “A venda de alfajor era para quitar a faculdade e virou negócio

  1. Quero parabenizar ao casal desta matéria e dizer que eu e minha esposa estamos vivendo uma experiência muito parecida como a deles, no nosso caso, bolo em potes. É o início, mas, estamos muito entusiasmados e é isto, trabalhar e trabalhar. Sucesso ao casal.

  2. Nossa, essas fotos são um verdadeiro crime pra mim… Meu Deus, que delícia que devem ser esses alfajores… A mensagem é essa mesmo, quem quer faz seu tempo e dá um jeito. Parabéns pela matéria!!
    Beijo querida!!
    Fernanda.

Deixe um comentário