Divulgação

A esteticista se tornou dona de clínica e não sabe o que é crise

Crise é uma palavra que a Daniele Florêncio não usa muito no seu dia a dia, pelo menos quando o assunto é a sua clínica. É que desde que decidiu empreender ela não sofreu as consequências da crise econômica do Brasil, e mais, nos três anos a frente do negócio o movimento aumentou 80%. Eu entendi melhor o segredo de todo esse sucesso depois de conversar com a Daniele e conhecer a história de vida dessa mulher. Formada em Tecnologia de Estética e Cosmética, ela trabalhou em clínicas e depois de um tempo começou a dar cursos. Acabou se tornando professora universitária em cursos de graduação de estética, sempre na área de imagem pessoal.

Virou palestrante na área de estética dando dicas de beleza, de como se vestir. Já pensava em abrir um espaço quando surgiu a oportunidade de comprar uma clínica que existia há 21 anos em Curitiba, a Vitaclin. E a gente sabe que  muitas vezes começar do zero é mais fácil né? Mas ela aceitou o desafio. Já estava pensando em fazer mestrado quando deixou a sala de aula e as palestras para empreender.

Divulgação
Divulgação

Pegou a empresa em um momento complicado mas arregaçou as mangas e começou a trabalhar. Para conhecer a equipe e todo processo de funcionamento ela me contou que  ficava na clínica das 6 da manhã as 10 da noite. “Eu queria entender como funcionava cada setor, recepção, limpeza, administrativo, tudo para ver a necessidade e dar um retorno para a equipe”. Aos poucos foi mudando a estrutura, comprou os aparelhos mais modernos que existem no mundo, investiu nos profissionais que estavam dispostos a se adaptar às mudanças. “Cheguei aos poucos, conversando com as pessoas, trabalhando nas salas com as profissionais. Não adiantava chegar impondo novas regras, eles também tinham que me conhecer”. O resultado é que nesses três anos o movimento cresceu mesmo 80% e ela recuperou clientes que tinham deixado de frequentar o local.

Foto: Ana Carolina Zarpelon
Foto: Ana Carolina Zarpelon

Segundo a Daniele, entender tudo da área de estética foi essencial para conquistar o respeito da equipe e também para saber como e o que cobrar. “Hoje continuo dando meus cursos só que para as minhas colaboradoras”. Ela também diz que ao empreender o pensamento muda.”Além de trabalhar muito mais, quando você deita a cabeça no travesseiro você pensa nos seus funcionários e pensa que tem que dar certo.” E é assim, fazendo dar certo, que a Daniele tem dica para quem está na área de estética e acha que não vai ser fácil. “Eu digo que é possível. É difícil sim, mas quem está qualificado consegue. Mas tem que correr atrás.Quando veio a crise ao invés de recuar a gente foi pra cima dela compramos equipamentos novos e começamos a trabalhar”.

As dicas da Daniele

-É importante você conhecer o negócio antes de empreender.Não adianta mudar radicalmente de área se você não tem conhecimento suficiente.

-No caso da área de estética tem que entender todo o processo, desde ligar um aparelho até terminar a sessão. Assim os profissionais que trabalham pra você vão te respeitar.

-Tem que gostar do que está fazendo e não só visando lucro. Dinheiro é bom mas pode demorar um tempo

– Na minha área ser transparente é essencial porque o cliente olha no meu olho e pergunta sobre tratamentos e aparelhos. Por isso tenho que ter bons equipamentos, materiais descartáveis e prezar pela higiene, só assim vou passar credibilidade

-A lição que eu tiro da minha experiência é de que tudo o que você quer você consegue. Não venho de família rica. Tudo o que conquistei foi suado mesmo. São 11 anos de trabalho e agora consigo colher os frutos

 

www.vitaclin.com.br

Foto: Raquel Lima
Foto: Raquel Lima

2 comentários sobre “A esteticista se tornou dona de clínica e não sabe o que é crise

  1. Conheci o blog hj, num domingo a tarde zapeando pela net, amei !!!
    Vanessa super parabéns !!!
    Historias assim, nos motivam, nos inspiram .. ainda mais qdo a maioria é na cidade que morei por varios anos e tenho muitas raizes ate hoje.
    Passei por todas, algumas li, outras imprimi pra ler antes de dormir ( mania), mas é um grande aprendizado.
    Vamos lutando, sem dar ouvidos a esta palavra horrorosa que chamam de crise …

    • Oi Lu, fico feliz que tenha gostado do blog. Sim, boa parte dos meus entrevistados são aqui de Curitiba. É isso aí nada de ficar sofrendo com aa crise, as pessoas que entrevistou são uma prova de que tudo é possível.
      Grande abraço e obrigada pela visita ao blog

Deixe um comentário