Foto: Liza  Strapasson

4 Histórias de quem Partiu Plano B com a confeitaria

Ednaldo Felice-Partiu Plano B-3

A confeitaria era um hobby para o Ednaldo Felice. Formado em engenharia elétrica, ele trabalhou na área por 28 anos, mas acabou sendo demitido. Decidiu transformar o hobby em profissão e hoje, além de atender encomendas ainda dá cursos e grava vídeos para o canal dele no Youtube. Ele tem uma dica importante para quem sonha em atuar nessa área: “Poste tudo que produzir nas redes sociais, escrevendo algo do tipo: “encomenda de hoje” assim as pessoas saberão que está fazendo para vender. Poste as fotos de fora e de dentro (bolo cortado) de seus produtos, para despertar a vontade nas pessoas.

www.ednaldonacozinha.com.br

Foto: Gabriel Rega
Foto: Gabriel Rega

Para a Roberta Schwanke a confeitaria sempre foi uma paixão. Mesmo quando estava na faculdade de Direito fazia bolos e doces para vender. Ela chegou a passar em um concurso e trabalhava no Tribunal de Justiça, mas nunca deixou a confeitaria, até que decidiu seguir de uma vez essa paixão. Deixou o concurso público e abriu um ateliê de doces que é um sucesso. A Roberta também tem dica : “Acho que a primeira é ter visão, olhar para o seu negócio sempre pensando na inovação, ter ideias e colocá-las em prática! Uma ideia genial dentro da gaveta não serve pra nada, temos que ter coragem para executar! A mesma que tivemos que ter para a decisão de mudança, e que nos deparamos tantas outras vezes ao longo da jornada empreendedora! Arriscar é preciso!.”

Instagram: @roberta schwanke_gastronomie

Anna Ivanoff -Partiu Plano B-1

A Anna Ivanoff se formou em Relações Internacionais, mas decidiu transformar a paixão que sempre teve por confeitaria em fonte de renda.Foi atrás de informação na internet, fez vários testes com marcas de chocolate e técnicas e começou com brownies e cookies. Vende para os amigos e no refeitório de uma empresa e comemora o sucesso do empreendimento que está só começando. Apesar de estar no início ela tem dicas para quem pensa em também trabalhar com confeitaria: “A primeira é começar a fazer alguma coisa, sair do lugar. Acredito que seja a parte mais difícil, especialmente porque existe muita insegurança, algo natural para quem está começando”.

@ekaterinadoces

Foto: Liza Strapasson
Foto: Liza Strapasson

No caso da Ana Torricilas, a confeitaria era quase uma necessidade para expandir o lado criativo dela. Formada em odontologia, decidiu  colocar em prática o que aprendeu com a avó , a dona Derli. Começou fazendo cupcakes em casa e em pouco tempo abriu uma loja que vende centenas de cupcakes e também bolos. A Ana ainda trabalha como dentista e é uma prova de que é possível ter duas profissões. E sim, ela também tem dica: “Em caso de um Plano B pense em uma ideia nova, diferente, ou pelo menos analise bem antes de mudar mesmo. Não é fácil se decidir por um Plano B. Tanto que já pensei em deixar de ser dentista mas gosto tanto do que faço que prefiro ficar com os dois”.

www.sugarbakery.com.br

Deixe um comentário